Neste Artigo:

O decreto datado de 27 de fevereiro de 2014 ameniza as formalidades administrativas relacionadas à renovação de uma fachada. Renovação no estado inicial da fachada é, portanto, isenta de declaração prévia de trabalho. Uma isenção que, no entanto, permanece sujeita a certas condições.

A declaração de trabalhos para a renovação de uma fachada

A declaração de trabalhos para a renovação de uma fachada

Restauração de fachadas e declaração prévia em 2014

A declaração de obras é um ato administrativo que permite ao município assegurar-se da respeito às regras de planejamento urbano em vigor, por ocasião de um projeto de renovação de fachadas.

  • Até 2014, este tipo de renovação exterior tinha de ser precedida por uma pedido de autorização, depositado na prefeitura. A aplicação desta obrigação é então corrigida pelo decreto de 27 de fevereiro de 2014.
  • A partir de 1º de abril seguinte, certas obras de facelift estão isentas de formalidades (artigo R.421-17 do código de planejamento urbano).

De fato, a renovação da fachada é considerada parte do trabalho de restauração do prédio em direção ao seu estado inicial. Este tipo de renovação não requer declaração prévia já que o propósito do trabalho de renovação envolvido é restaurar as fachadas para uma condição limpa.

No entanto, permanecem excepções a esta isenção de formalidade e a remodelação das fachadas permanece sujeita à declaração de trabalho em muitas circunstâncias.

Restauração de fachadas, quando a declaração preliminar permanece obrigatória

O pedido de autorização na câmara municipal, relativo a obras de renovação de fachadas, continua a ser obrigatório quando o edifício em questão estiver localizado:

  • em um espaço protegido e protegido próximo a um monumento histórico, na Zona de Proteção do Patrimônio Arquitetônico Urbano e da Paisagem (ZPPAUP), em uma Área de Valorização da Arquitetura e do Patrimônio (AVAP)
  • em um município onde o Plano de Urbanismo Local (PLU) submete este tipo de trabalho a uma autorização da prefeitura

Exceções descritas pelo artigo R.421-17-1 do código de planejamento urbano.

Em conclusão, a obtenção de uma declaração prévia pela administração local permanece obrigatória na prática, quase sistematicamente.

Notar: trabalho feito na fachada de um edifício, levando a uma modificação de sua aparência inicial, obviamente, não entra no contexto do facelift. São, na verdade, obras que modificam a aparência de um edifício, para as quais é essencial obter uma declaração prévia.


Instruções De Vídeo: Taci ESTÁ GRÁVIDA! Quel Guimarães faz DECLARAÇÕES POLÊMICAS E APAGA depois!