Neste Artigo:

Desde 1/9/2014 e até 31/12/2015, não falamos mais do Desenvolvimento Sustentável do Crédito Tributário (CIDD), mas do Crédito Fiscal para Transição de Energia (CITE). O objetivo é simples: incentivar ainda mais domicílios a realizar trabalhos de renovação energética, tornando parte das despesas dedutíveis de seus impostos. Aqui estão todas as chaves para entender melhor o ISCED.

CITE: Quais são as condições para se beneficiar?

Boas notícias: desde que o CIDD se tornou CITE, não há mais nenhuma questão de condições de recursos para desfrutar! Para se qualificar para o ISCED, tudo o que você precisa fazer é:

  • Para possuir, alugar ou ocupar sua casa gratuitamente
  • Ter uma casa fiscal na França
  • Desde 1 de janeiro de 2015, exige eco-condicionalidade, é necessário ter o trabalho feito por profissionais competentes de eco-renovação, as famosas empresas conhecidas como Garantes do Meio Ambiente (RGE). A empresa fornecedora dos materiais é necessariamente aquela que realiza o trabalho.

Quanto à habitação, deve ser:

  • Uma casa isolada ou um apartamento
  • A residência principal
  • Terminou de ser construído por mais de dois anos

Notar: pode-se beneficiar da CITE mesmo sem ser tributável.

Despesas elegíveis na CITE

O crédito fiscal para a transição energética aplica-se, por conseguinte, ao trabalho de renovação ecológica destinado a melhorar o desempenho energético de uma habitação. Aqui está a lista das principais obras e equipamentos elegíveis para o ISCED:

  • Isolamento de paredes opacass (paredes, telhados), paredes envidraçadas, isolamento térmico de pisos baixos. Compra de persianas ou portas de entrada externas.
  • Aquisição de equipamento de aquecimento ou produção de água quente sanitária com recurso a madeira, energia solar ou com bomba de calor. Bem como todo o equipamento permitindo otimizar o uso do aquecimento: regulador, programador...
  • A compra de caldeiras operando com energia renovável
  • realização um DPI (se não fosse obrigatório)
  • Conexão a uma rede de calor...

CITE: que taxa, que teto?

Para incentivar as famílias francesas a melhorar o desempenho energético de suas casas, o governo decidiu torná-la forte! A taxa do crédito fiscal para a transição energética não é mais um incentivo: 30%, qualquer que seja o trabalho.

Naturalmente, o montante das despesas é limitado: à 8000€ para uma única pessoa, e 16 000€ para um casal. Com um aumento de 400 € para qualquer dependente.
Este limite aplica-se por um período de cinco anos consecutivos, entre 1/1/2005 e 31/12/2015.

Obviamente, se além do ISCED beneficiarmos de outro auxílio (Eco PTZ, auxílio local específico...), o montante do CITE será calculado sobre o custo do equipamento, uma vez deduzidas as deduções...


Instruções De Vídeo: