Neste Artigo:

Possuindo uma antiga casa de fazenda no Loiret desde 1992, eu queria depois de encontrar um pequeno pedaço de alqueire na minha inserção, tubo de tubulação minha chaminé. Este, desviado e realizado com bushels de 200 mm me permite apenas tubos flexíveis (com padrões) de diâmetro de 180 mm. O problema é que a minha inserção tem um bocal de saída de 270 mm, impossibilidade de reduzir o diâmetro de 180 mm para se adaptar à mangueira. Não querendo substituir a minha inserção, o que me obrigaria a quebrar a chaminé ou a refazer os 7 metros da chaminé, gostaria de saber o que você acha dos vários métodos de revestimento do tubo de ventilação que propor algumas empresas (Gasflex, serviço de lareira Armor...).

A questão a ser colocada refere-se, antes de mais, à importante diferença entre o diâmetro de saída da inserção (270 mm) e o diâmetro máximo da conduta (180 mm). A diferença parece muito importante para uma operação otimizada e segura, e os profissionais insistem na necessidade de não exceder dois diâmetros de redução.
Andar no conduto implica que ele está em bom estado de conservação, exceto se peças já caírem no inserto... certamente não é tubável.
Sob essas condições, a única solução viável (além de trocar a inserção) é criar um tubo de fumaça independente do antigo, dentro ou fora do prédio, e adaptado em seção para o desempenho do inserto..

Isso pode lhe interessar


Instruções De Vídeo: MC Savinon e MC Mirella - Tô Solteira e Tá Normal (KondZilla)